Usando um sistema de quadrantes é possível detectar o que dá vida a um filme.

Sabe quando um filme chama a sua atenção, não pela história em si ou atores, mas pela forma com ele tem estilo ou parece “vivo”? Na série “Every Frame a Painting“, Tony Zhou mostra como por Nicolas Winding Refn transformou o filme Drive (2011), estrelado por Ryan Gosling, em um filme tão estiloso.

Dividindo a tela em quadrantes, Zhou mostra como uma mesma cena pode conter mais de uma história. Enquando os rostos dos personagens são mostrados na parte de cima da cena, a metade de baixo, por exemplo, mostra as mãos dos personagens, que acabam expressando sentimentos que não aparecem no diálogo. Com isso, foi possível transformar um filme que poderia ser tão previsível em algo tão complexo.

Via