Por um bem maior, as vezes as crianças precisam enfrentar os seus medos.

Durante as últimas 2 semanas, as pessoas que andaram de metrô nas cidades do leste europeu se depararam com fotos de crianças em idade pré escolar fazendo cara de choro. Os cartazes não apresentavam nenhuma explicação, apenas hashtag #makeachildcry (“faça uma criança chorar”).

Criança Chorando_Addictable (1) Criança Chorando_Addictable (2) Criança Chorando_Addictable (3) Criança Chorando_Addictable (4)

Uma campanha com um apelo com certeza não passa despercebida. Como é que alguém pode pedir para fazer uma criança chorar? Mas não é bem isso.

Em um segundo momento, as imagens foram substituídas por fotos das mesmas crianças mostrando o que está causando o choro delas – uma agulha se aproximando ou aquele xarope amargo para tomar – que também trazia a frase “Faça uma criança chorar. Salve a vida dele/dela.”

Criança Chorando_Addictable (5) Criança Chorando_Addictable (6) Criança Chorando_Addictable (7) Criança Chorando_Addictable (8)

Criada pela Agência DDB Paris, a campanha quer levantar fundos para suprimentos médicos pediátricos que serão distribuídos pelo Doctors of the World em países em desenvolvimento, onde cerca de 4 milhões de crianças morrem anualmente por doenças que poderiam ser evitadas.

A campanha também traz uma importante reflexão sobre como os pais criam seus filhos. É comum termos a ideia de que um bom pai ou uma boa mãe, são aqueles que evitam que seus filhos tenham medos ou mesmo alguma dor. Mas, em alguns momentos, é preciso expor as filhos a esses “desconfortos” em troca de um benefício a longo prazo, mesmo que as crianças não entendam no momento.