Com novo posicionamento e mensagem feminista, Barbie se afasta dos estereótipos de beleza para incentivar meninas a viverem seus sonhos

A boneca Barbie já tem uma história de mais de 50 anos, quem não teve uma quando pequena – ou até na vida adulta – né? E apesar de ser um brinquedo tão tradicional e consolidado, o que mais vem sabotando as vendas da boneca nos últimos anos é a própria visão e posicionamento da marca, que vem enfrentando guerras e ataques pesados contra os estereótipos irreais de beleza.

Leia também: Barbie Hipster critica a superficialidade dos clichês nas mídias sociais

A Mattel já percebeu que seu público não é o mesmo e não quer mais a mesma coisa que 50 anos atrás, então na nova campanha – extremamente fofa – a marca mostra que vem evoluindo sobre o papel da boneca na vida das meninas.

No comercial, meninas aparecem no papel de professora, médica, executiva e até técnica de futebol. A liberdade de escolher o que as meninas gostariam de ser começou já na produção do filme, já que as próprias atrizes mirins que participaram é que escolherem que profissão gostariam de interpretar.

Barbie meninas podem ser o que elas quiserem 2

Por mais que a marca tenha construído e se fortalecido em cima de estereótipos de beleza, esse é um passo importante na mudança de posicionamento da boneca, que quer empoderar meninas e incentivá-las a serem o que quiserem, sem essa de “isso não é coisa de menina”, além da abordagem na diversidade.